Em 2006, a Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM) obteve apoio financeiro do Ministério da Ciência e Tecnologia por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) para desenvolver uma escola na modalidade de Educação à Distância (EAD). A proposta era aumentar o acesso à informação daqueles que buscam capacitação e inovação em Tecnologia Industrial Básica (TIB), provendo maior competitividade e desenvolvimento tecnológico à indústria nacional.

No início dos trabalhos, o objetivo se limitava ao lançamento da Escola Nacional de Tecnologia Industrial (Entib) e seus cursos ministrados à distância. Durante os debates a respeito do projeto, ficou acordado que o mais adequado seria o lançamento de uma escola com campo de atuação mais amplo, que não só incluísse a TIB, mas que compreendesse também outras áreas de conhecimento associados à tecnologia industrial lato sensu. Nascia, assim, a Escola Nacional de Tecnologia Industrial (Entib), sob a égide da Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM). 

Ao conceber a Escola Nacional de Tecnologia Industrial - Entib, seus idealizadores perceberam que havia uma excelente oportunidade gerada pela necessidade de aumentar a competitividade da indústria nacional, visto que o diferencial de qualquer país no mundo é conferido por sua capacidade de desenvolvimento tecnológico e de inovação.

A falta de mão-de-obra qualificada em tecnologia industrial e a pouca oferta de cursos sobre o assunto em todo Brasil sinalizaram para a criação da Entib. Uma escola especializada, capaz de oferecer cursos presenciais e a distância.

A Entib disponibiliza duas categorias de produtos ao mercado: os cursos à distância, abertos a todos os interessados ou customizados e fechados para empresas; e os cursos presenciais, abertos ou fechados.

Para a viabilização dos cursos a distância foram escolhidos os mais modernos recursos tecnológicos de informação e de comunicação, como o ambiente digital online de aprendizagem colaborativa, com o uso de material multimídia, além dos tradicionais encontros presenciais e de material impresso. Pretendem-se com esta modalidade de educação levar o conhecimento e a educação profissional a todas as indústrias, mesmo aquelas mais distantes dos grandes centros.

As carências do país no campo da TIB, principalmente no que se refere à disponibilidade de pessoal técnico especializado, evidenciam a necessidade do de tecnologias de educação à distância, de forma a suprir essa lacuna em tempo compatível com as necessidades do mercado.


Última atualização: quarta, 13 Jul 2016, 18:09